X
X
X
X
Voltar ao topo

MPS VII: visão geral

Pacientes com mucopolissacaridose (MPS VII) apresentam risco elevado de morbidade grave e mortalidade precoce1

MPS VII, também conhecida como síndrome de Sly, é uma doença multissistêmica progressiva causada por uma deficiência da enzima β-glicuronidase, que é necessária para a degradação dos glicosaminoglicanos (GAGs) sulfato de heparano, sulfato de dermatano e sulfato de condroitina.1

MPS VII pode apresentar-se tão logo ao nascer como hidropsia fetal ou no início da infância ou adolescência como retardo no desenvolvimento motor, comprometimento cognitivo leve a grave e doença de múltiplos órgãos.1-4

Apresentação observada
  • Os sintomas aparecem em idades variadas, dependendo da taxa de progressão da doença:
    • Progressão rápida, nascimento1
    • Progressão lenta, final da infância à adolescência1-3
  • A apresentação observada inclui o seguinte 1,2,4,5:
    • Características faciais sem refinamento
    • Hepatoesplenomegalia
    • Deformidade em giba
    • Diástase de reto abdominal
    • Hérnia
    • Baixa estatura
    • Comprometimento cognitivo
    • Infecções respiratórias frequentes
    • Disostose múltipla leve a moderada
    • Opacidade corneana
    • Perda auditiva
    • Afasia
    • Anormalidades da valva cardíaca
  • As recomendações específicas para a consideração de MPS VII incluem o seguinte:
    • Bebês que apresentam hidropsia fetal ao nascer devem ser analisados.1,4
    • Nos casos relatados, características faciais sem refinamento, atraso no desenvolvimento, hepatoesplenomegalia e anormalidades da valva cardíaca instigaram a solicitação de testes.2,5,6
Progressão da doença
  • Carga geral da doença:
    • Os pacientes apresentam disfunção de múltiplos órgãos e possivelmente declínio cognitivo, com uma resultante alta carga da doença.2-5
    • Os pacientes podem perder a capacidade de deambular independentemente, comunicar-se e cuidar-se sozinhos, dessa forma aumentando as necessidades de cuidadores.4,6,7
  • Pacientes com progressão rápida:
    • A doença apresenta-se ao nascer como hidropsia fetal e comprometimento cognitivo grave.1
    • Foi relatado que os pacientes morrem prematuramente, dentro de um ano do nascimento, em decorrência da hidropsia fetal.1
  • Pacientes com progressão lenta:
    • A doença apresenta-se como características faciais sem refinamento, atraso comportamental, hepatoesplenomegalia e anormalidades da valva cardíaca.2,4
    • À medida que a doença evolui, os pacientes também podem apresentar declínio cognitivo, perda da deambulação, perda da capacidade de cuidar-se sozinhos e perda da capacidade de comunicar-se.4,6,7
    • Os pacientes podem sobreviver até os 50 anos; foi relatado que a morte foi associada à insuficiência cardíaca ou pulmonar.1,4,7
  • Não há informações conclusivas sobre os tipos mais frequentes de cirurgias às quais os pacientes com MPS VII são submetidos, mas as seguintes foram detalhadas em relatos de caso 4,5,7:
    • Traqueostomia
    • Cirurgia de reparo da escoliose
    • Reparo cirúrgico da válvula mitral
    • Fusão cervical
  • Uma vez que pacientes com MPS I frequentemente apresentam complicações anestésicas devido à obstrução das vias aéreas, deve-se ter cautela para pacientes submetidos a cirurgia.8
Informações genéticas
  • A MPS VII é causada por mutações no gene β-glucuronidase, GUSB.1
  • Existem 27 variantes patogênicas conhecidas dentro do GUSB.9
  • Mutações no GUSB e a resultante deficiência enzimática levam ao acúmulo dos GAGs sulfato de heparan, sulfato de dermatano e sulfato de condroitina.1
Principais considerações de tratamento
  • Atualmente, não há terapias aprovadas para MPS VII; novas abordagens para o tratamento de MPS VII estão sob investigação clínica.
  • Tratamento disponível e recomendações para o tratamento:
    • Bernsen PLJA, Wevers RA, Gabreëls FJM, Lamers KJB, Sonnen AEH, Schuurmans Stekhoven JH Phenotypic expression in mucopolysaccharidosis VII. J Neurol Neurosurg Psychiatry. 1987;50(6):699-703.
    • Gniadek TJ, Singer N, Barker NJ, et al. Cardiovascular pathologies in mucopolysaccharidosis type VII (Sly Syndrome). Cardiovasc Pathol.2015;24(5):322-326. doi:10.1016/j.carpath.2015.06.001.
    • Tomatsu S, Montaño AM, Dung VC, Grubb JH, Sly WS. Mutations and polymorphisms in GUSB gene in mucopolysaccharidosis VII (Sly Syndrome). Hum Mutat. 2009;30(4):511-519. doi:10.1002/humu.20828.

Otimize os resultados dos pacientes através do gerenciamento coordenado

É uma nova era de tratamento. Mantenha-se informado.

References:  1. Tomatsu S, Montaño AM, Dung VC, Grubb JH, Sly WS. Mutations and polymorphisms in GUSB gene in mucopolysaccharidosis VII (Sly Syndrome). Hum Mutat. 2009;30(4):511-519. doi:10.1002/humu.20828.  2. Gehler J, Cantz M, Tolksdorf M, Spranger J, Gilbert E, Drube H. Mucopolysaccharidosis VII: β-glucuronidase deficiency. Humangenetik. 1974;23(2):149-158.  3. Bernsen PLJA, Wevers RA, Gabreëls FJM, Lamers KJB, Sonnen AEH, Schuurmans Stekhoven JH Phenotypic expression in mucopolysaccharidosis VII. J Neurol Neurosurg Psychiatry. 1987;50(6):699-703.  4. Gniadek TJ, Singer N, Barker NJ, et al. Cardiovascular pathologies in mucopolysaccharidosis type VII (Sly Syndrome). Cardiovasc Pathol. 2015;24(5):322-326. doi:10.1016/j.carpath.2015.06.001.  5. Nampoothiri S, Mahesh K, Hiran KR, Sunitha V. Sly disease: mucopolysaccharidosis type VII. Indian Pediatr. 2008;45(10):859-861.  6. Yamada Y, Kato K, Sukegawa K, et al. Treatment of MPS VII (Sly disease) by allogeneic BMT in a female with homozygous A619V mutation. Bone Marrow Transplant. 1998;21(6):629-634.  7. Fox JE, Volpe L, Bullaro J, Kakkis ED, Sly WS. First human treatment with investigational rhGUS enzyme replacement therapy in an advanced stage MPS VII patient. Mol Genet Metab. 2015;114(2):203-208. doi:10.1016/j.ymgme.2014.10.017.  8. Muenzer J, Beck M, Eng CM, et al. Long-term, open-labeled extension study of idursulfase in the treatment of Hunter syndrome Genet Med. 2011;13(2):95-101. doi:10.1097/GIM.0b013e3181fea459.  9. Online Mendelian Inheritance in Man, OMIM. Baltimore, MD: Johns Hopkins University Press. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/omim. Updated December 20, 2015. Accessed December 21, 2015.