X
X
X
X
Voltar ao topo

MPS II: visão geral

Pacientes com mucopolissacaridose (MPS) II apresentam risco elevado de morbidade grave e mortalidade precoce1

MPS II, também conhecida como síndrome de Hunter, é causada por uma mutação genética no gene iduronato-2-sulfatase (IDS) que acarreta a clivagem deficiente dos glicosaminoglicanos (GAGs), sulfato de heparano e de dermatano, que leva ao acúmulo intracelular progressivo de GAG, com a resultante doença multissistêmica e progressiva.1,2

  • A forma de MPS II de rápida progressão geralmente apresenta-se entre os 18 e 36 meses de idade com disfunção cognitiva e graves alterações somáticas.1,2
  • A forma de MPS II de progressão lenta geralmente apresenta-se entre os 4 e 8 anos de idade, sem declínio cognitivo e leves alterações somáticas.1,2
Apresentação observada
  • Os sintomas aparecem em idades variadas, dependendo da deficiência de enzima específica e da taxa de progressão da doença1:
    • Progressão rápida, 18 a 36 meses de idade
    • Progressão lenta, 4 a 8 anos de idade
  • A apresentação observada inclui o seguinte 1,3:
    • Alteração das características faciais
    • Língua aumentada
    • Macrocefalia
    • Adenoides e amígdalas hipertróficas
    • Dentes com formato irregular
    • Infecções de ouvido recorrentes
    • Hérnias
    • Pele áspera
    • Baixa estatura
    • Contraturas articulares
    • Alterações no sistema musculoesquelético, olhos, trato gastrointestinal, vias aéreas e sistema cardiovascular
  • Combinações das manifestações clínicas acima devem instigar a solicitação de testes para MPS II.3
  • Há uma alta prevalência de MPS II na população judaica asquenazi.4
  • MPS II é um distúrbio recessivo ligado ao cromossomo X, portanto afeta principalmente os homens.2
Progressão da doença
  • Carga geral da doença:
    • Pacientes com a forma da doença de rápida progressão apresentam disfunção de múltiplos órgãos, resultando em uma alta carga da doença.2
    • Pacientes com a forma da doença de progressão lenta podem apresentar sintomas e complicações que levam à morbidade e incapacidade significativas.2
    • As duas formas da doença estão associadas a pesadas cargas psicológica e financeiras para pacientes e suas famílias. 3,5
  • MPS II de rápida progressão:
    • Os sintomas podem incluir o seguinte 1,2:
      • Declínio cognitivo com comportamento hiperativo e agressivo
      • Hérnia
      • Complicações multissistêmicas significativas, incluindo deformidades esqueléticas que podem restringir a função pulmonar 2,5
    • Se não tratados, os pacientes geralmente morrem antes dos 15 anos de idade; com frequência, a mortalidade está associada à insuficiência cardiorrespiratória e deterioração neurológica. 1,2
  • MPS II de progressão lenta:
    • Os sintomas aparecem entre os 4 e 8 anos de idade, com progressão variável e geralmente incluem o seguinte2:
      • Baixa estatura
      • Características faciais sem refinamento
      • Contraturas articulares
      • Hérnia devido à hepatoesplenomegalia
    • Se não tratados, os pacientes geralmente morrem entre os 20 e 60 anos de idade; com frequência, a mortalidade está associada à insuficiência cardiorrespiratória. 1,2
  • Pacientes com MPS II geralmente têm uma alta carga cirúrgica que pode incluir o seguinte 2,3:
    • Miringotomias
    • Cirurgia de hérnia, frequentemente com procedimentos de repetição
    • Adenoidectomia
    • Tonsilectomia
    • Descompressão cervical
    • Cirurgia do túnel do carpo
    • Substituição de válvula cardíaca
    • Artroplastia de quadril e joelho e correção do eixo dos membros inferiores
  • Pacientes com MPS II frequentemente apresentam complicações anestésicas devido à obstrução das vias aéreas; portanto, deve-se ter cautela com pacientes submetidos a cirurgia. 2,3
Informações genéticas
  • A MPS II é causada por uma mutação genética no gene IDS .1,2
  • Existem mais de 300 mutações conhecidas no gene IDS.6
  • Essas mutações e a disfunção proteica resultante levam ao acúmulo dos GAGs sulfato de heparano e dermatano.1,2
Principais considerações de tratamento
  • A terapia de reposição enzimática é uma consideração importante no tratamento de MPS II.2,3
  • Dependendo da gravidade, as manifestações neurológicas são heterogêneas e exigem suas próprias intervenções e tratamentos específicos.2,3
  • Tratamento disponível e recomendações para o tratamento:
    • Burton BK, Giugliani R. Diagnosing Hunter syndrome in pediatric practice: practical considerations and common pitfalls. Eur J Pediatr. 2012; 171(4):631-639. doi: 10.1007/s00431-012-1703-y.
    • Giugliani R, Federhen A, Muñoz Rojas MV, et al. Enzyme replacement therapy for mucopolysaccharidoses I, II and VI: recommendations from a group of Brazilian F experts. Rev Assoc Med Bras. 2010;56(3):271-277.
    • Giugliani R, Federhen A, Rojas MV, et al. Mucopolysaccharidosis I, II, and VI: Brief review and guidelines for treatment. Genet Mol Biol. 2010;33(4):589-604. doi:10.1590/S1415-47572010005000093.
    • Giugliani R, Villarreal ML, Valdez CA, et al. Guidelines for diagnosis and treatment of Hunter Syndrome for clinicians in Latin America. Genet Mol Biol. 2014;37(2):315-329.
    • Guillén-Navarro E, Blasco AJ, Gutierrez-Solana LG, et al. Clinical practice guideline for the management of Hunter syndrome. Hunter España working group. Med Clin (Barc). 2013;141(10):453.e1-13. doi: 10.1016/j.medcli.2013.07.010.
    • Jones SA, Almássy Z, Beck M, et al. HOS Investigators. Mortality and cause of death in mucopolysaccharidosis type II-a historical review based on data from the Hunter Outcome Survey (HOS). J Inherit Metab Dis.2009;32(4):534-543.doi:10.1007/s10545-009-1119-7.
    • Lampe C, Bosserhoff AK, Burton BK, et al. Long-term experience with enzyme replacement therapy (TRE) in MPS II patients with a severe phenotype: an international case series. J Inherit Metab Dis. 2014;37(5):823-829.doi:10.1007/s10545-014-9686-7.
    • Malik V, Nichani J, Rothera MP, et al. Tracheostomy in mucopolysaccharidosis type II (Hunter’s Syndrome). Int J Pediatr Otorhinolaryngol.2013;77(7):1204-1208. doi:10.1016/j.ijporl.2013.05.002.
    • Muenzer J, Beck M, Eng CM, et al. Multidisciplinary management of Hunter syndrome. Pediatrics. 2009;124(6):e1228-1239. doi:10.1542/peds.2008-0999.
    • Muenzer J, Bodamer O, Burton B, et al. The role of enzyme replacement therapy in severe Hunter syndrome-an expert panel consensus. Eur J Pediatr.2012;171(1):181-188. doi:10.1007/s00431-011-1606-3.
    • Scarpa M, Almássy Z, Beck M, et al. Hunter Syndrome Europena Expert Council. Mucopolysaccharidosis type II: European recommendations for the diagnosis and multidisciplinary management of a rare disease. Orphanet J Rare Dis.2011;6:72. doi:10.1186/1750-1172-6-72.
    • Wraith JE, Scarpa M, Beck M, et al. Mucopolysaccharidosis type II (Hunter syndrome): a clinical review and recommendations for treatment in the era of enzyme replacement therapy. Eur J Pediatr.2008;167(3):267-277.
    • Yund B, Rudser K, Ahmed A, et al. Cognitive, medical, and neuroimaging characteristics of attenuated mucopolysaccharidosis type II. Mol Genet Metab.2015;114(2):170-177.doi:10.1016/j.ymgme.2014.12.299.

Otimize os resultados dos pacientes através do gerenciamento coordenado

É uma nova era de tratamento. Mantenha-se informado.

Referências: 1. Hopwood JJ, Bunge S, Morris CP, et al. Molecular basis of mucopolysaccharidosis type II: mutations in the iduronate-2-sulphatase gene. Hum Mutat. 1993;2(6):435-442. doi:10.1002/humu.1380020603. 2. Wraith JE, Scarpa M, Beck M, et al. Mucopolysaccharidosis type II (Hunter syndrome): a clinical review and recommendations for treatment in the era of enzyme replacement therapy. Eur J Pediatr.2008;167(3):267-277. doi:10.1007/s00431-007-0635-4. 3. Scarpa M, Almassy Z, Beck M, et al. Mucopolysaccharidosis type II: European recommendations for the diagnosis and multidisciplinary management of a rare disease. Orphanet J Rare Dis.2011;6:72.doi:10.1186/1750-1172-6-72. 4. Baehner F, Schmiedeskamp C, Krummenauer F, et al. Cumulative incidence rates of the mucopolysaccharidoses in Germany. J Inherit Metab Dis. 2005;28(6):1011-1017. doi:10.1007/s10545-005-0112-z. 5. Guffon N, Heron B, Chabrol B, Feillet F, Montauban V, Valayannopoulos V. Diagnosis, quality of life, and treatment of patients with Hunter syndrome in the French healthcare system: a retrospective observational study. Orphanet J Rare Dis.2015;10:43.doi:10.1186/s13023-015-0259-0. 6. Chkioua L, Khedhiri S, Ferchichi S, et al. Molecular analysis of iduronate -2- sulfatase gene in Tunisian patients with mucopolysaccharidosis type II. Diagn Pathol.2011;6:42. doi:10.1186/1746-1596-6-42.